Segundo cientistas, talvez haja microrganismos no subsolo de Marte.

Para encontrar vida em Marte, os cientistas podem precisar desistir de explorar a superfície e “ir fundo”.

Normalmente, nas notícias que vemos, as missões de Marte em busca de sinais de vida visam a superfície do planeta, em locais onde há sinais de água antiga (um indicador confiável de onde a vida é encontrada na Terra). Mas enquanto nenhuma vida apareceu na superfície de Marte, pode haver uma abundância de marcianos microbianos se reunindo no subsolo, de acordo com pesquisa apresentada em 11 de dezembro na reunião anual da União Geofísica Americana (AGU).

Nas últimas décadas, explorações subterrâneas na Terra revelaram a chamada biosfera profunda – um ambiente subterrâneo repleto de microorganismos. E os cientistas suspeitam que uma zona similarmente rica em biologia também esteja prosperando sob a superfície de Marte.

Bilhões de anos atrás, quando os planetas do nosso sistema solar eram jovens, a superfície de Marte era provavelmente muito semelhante à da Terra, seu vizinho rochoso. Isso mudou quando Marte perdeu seu campo magnético, que o expôs ao bombardeio de radiação intensa que teria tornado a sobrevivência aérea extremamente desafiadora, disse o cientista Michalski.

No entanto, é possível que a vida já estivesse “cozinhando” em Marte antes que isso acontecesse. Os cientistas acreditam que a vida apareceu pela primeira vez na Terra entre 3,8 bilhões e 3,9 bilhões de anos atrás, quando as condições em alguns pontos se assemelhavam aos ambientes hidrotermais atuais – muito parecido com Marte na época. Talvez, a vida tenha surgido em Marte ao mesmo tempo em que estava tomando forma na Terra, mas adaptada exclusivamente à vida subterrânea, disse Michalski.

“A vida poderia ter surgido nesses ambientes hidrotermais e ter sobrevivido no subsolo por um bom tempo”, disse ele.

E se a biosfera profunda da Terra é uma indicação, as comunidades microbianas subterrâneas marcianas poderiam ser excepcionalmente ricas e diversificadas. A biosfera profunda da Terra foi descoberta pela primeira vez há apenas 30 anos, e estimativas desde então sugerem que esses microrganismos que vivem nas profundezas constituem quase metade de toda a vida no planeta, disse Michalski à Live Science.

Dentre razões para abandono das redes sociais, nota-se a fuga de discussões

Discussões, no sentido negativo, tendendo não a algo de fato construtivo, mas a uma briga, são e sempre serão motivo de várias situações tão negativas quanto. Porém, se a situação aqui tratada é realmente atemporal, suas consequências, no entanto, seguem a temporalidade, ou seja, dependem do contexto, do momento em que vivem as partes da discussão. Hoje em dia, vemos, nas notícias, que muitas delas acabam por ocorrer no âmbito das redes sociais, consequentemente, já que muitos de nós gastam boa parte do dia visitando-as.

Entre as notícias, encontramos relatos de pessoas explicando as suas respectivas razões para abandonarem as suas redes sociais, como o perfil no Facebook, por exemplo. Dentre esses relatos, podemos citar o de Luiz Hamada, um homem, de 36 anos, que abdicou de todo esse universo, entre os anos de 2009 e 2010. Segundo ele, com tal atitude radical, acaba-se ficando livre de todas as recorrentes discussões que ocorrem durante o período das eleições. E essas sempre desnecessárias, segundo a visão dele, vale observarmos. Assim, desconectado das redes sociais, pôde priorizar mais e mais as experiências do mundo real, encontrando com pessoas presencialmente. Uma das justificativas para, inclusive, ele enaltecer a diferença entre as amizades de ambiente virtual e as presenciais, é que as primeiras teriam o que chamou de “atmosfera superficial”. Sem contar que, com mais tempo livre, ele acaba por dedicar-se mais aos parentes e aos seus bichos de estimação.

No entanto, o que vem levando muitos a saírem das redes sociais não se pode dizer que seja apenas uma questão de gosto pessoal, no sentido de serem casos isolados. Para muitos, as eleições propiciaram ainda mais essa situação, sendo até mesmo, para alguns, o “ponto final” nas redes sociais, ou seja, o contexto que os levou a simplesmente desistirem de tudo isso.

Até porque existem casos como o da professora universitária, tanto de publicidade quanto de jornalismo na PUC-SP, de nome Marlyvan Alencar. Com os seus 54 anos de idade, essa professora confessa que tomou a decisão de apagar os seus perfis das redes sociais, mais precisamente Facebook, Twitter e Instagram, por conta, justamente, das eleições. Após passado esse período, ela percebeu que ou focava-se no seu trabalho ou acabaria por dedicar-se muito às demandas desses sites, sendo então uma militante com a necessidade de compartilhamentos e, principalmente, de participação em discussões. Sem tudo isso, seu trabalho e estudos só evoluíram, fora as amizades, que também cresceram.

Indicações de animações

Com o dia a dia pesado em que vivemos – com tantas notícias negativas e com todas as responsabilidades que a vida adulta traz, muitas vezes bate uma saudade de um tempo que não volta mais e é considerado um dos melhores: a infância.

Esta época passou, mas os desenhos continuam aí divertindo e angariando cada vez mais fãs, tanto que os live actions estão em alta e com inúmeros previstos para 2019, já considerados sucessos antes mesmo de estrearem. Para matar a saudade e também para recomendar alguns filmes para aquela tarde de domingo que você está de bobeira segue está lista com algumas das melhores animações:

O Rei leão

Com a sua versão em live action prevista para o próximo ano, todos estão loucos para ver as cenas que ficarão marcadas em nossas mentes novamente nas telinhas de uma forma ainda mais realista. Levem os lencinhos para conferir novamente a história do príncipe herdeiro filhote de leão que é enganado por seu tio maligno, que o faz pensar que ele causou a morte de seu pai. O filho foge, e com o passar dos anos e com o auxílio de Timão e Pumba, ele volta para recuperar seu trono.

Frozen – Uma aventura congelante

Em sua estreia Frozen foi considerado um dos melhores filmes, tanto pela crítica, quanto pelo público. A história da recém-coroada rainha Elsa, que acidentalmente transforma seu reino em um inverno eterno; e da busca de sua irmã, Anna, a sua procura com a ajuda de um homem da montanha, sua leal rena e um boneco de neve cativante emocionou a todos, principalmente por retratar o amor fraterno, como o verdadeiro amor – ao contrário de outros filmes com a mesma temática da Disney.

Monstros S.A.

Para conseguir energia para o seu mundo, os monstros precisam assustar as crianças para conseguir gritos, e assim energia. Como as crianças são tóxicas para eles, eles tentam se afastar ao máximo delas, no entanto, com a chegada de uma pequena menina ao mundo, os monstros percebem que nem tudo é o que parece.

O Estranho Mundo de Jack

Jack Skellington está cansado de fazer o Dia das Bruxas anualmente, e descobre o Natal. Em suas tentativas de tornar o Natal uma realidade na sua cidade, a data acaba se transformando em uma confusão.

Ratatouille

Com uma vontade enorme de cozinhar, um rato se alia a um humano para fazer pratos cada vez mais incríveis em um renomado restaurante.

Divertida Mente

A animação com cara de “filme sério” conquistou crianças e adultos, por tratar de assuntos sérios de uma maneira leve e educativa. Tendo como enredo a vida Riley, uma jovem que se muda para uma nova cidade, tendo que lidar com uma nova escola e novos amigos, a sala de controle do seu cérebro, que controla as suas emoções, entra em pane.

Moana

Contra a vontade de seus país, uma jovem decide velejar pelo Oceano Pacífico em companhia de Maui, um semideus, em uma viagem que modifica a vida de todos de sua região.

Outros títulos que valem a pena são: Up: Altas Aventuras; Procurando Nemo; Toy Story; Wall-e; Uma aventura Lego; A Bela e a Fera e Fantasia.

Como se tornar um empreendedor social

A saturação excessiva dessas campanhas abriu as portas para jovens profissionais verdadeiramente interessados ​​em responsabilidade social. Como os primeiros profissionais de marketing relacionados a causas, os empreendedores sociais desenvolvem modelos de negócios inovadores para abordar desafios sociais específicos. A diferença? Os jovens empreendedores começam com o empreendimento social ou a causa em mente e usam estratégias de negócios e inovação para atingir o objetivo. Com as missões empresariais e sociais funcionando em paralelo, o componente social se torna parte das métricas de sucesso da organização.

Necessidade é a mãe da invenção. Muitas das idéias, produtos ou serviços de negócios mais bem-sucedidos do mundo vieram da necessidade de resolver um problema. O mesmo pensamento pode ser aplicado ao empreendedorismo social que muitas vezes brota do desejo de ajudar pessoas ou comunidades necessitadas. Um empreendedor social reconheceu muitos trabalhadores no México que se esforçavam para encontrar empregos porque tinham pouca visão, mas não podiam pagar lentes corretivas. Ele fundou a VisionSpring para trazer óculos de leitura básica para o México e outros seis países subdesenvolvidos. Mais de 1 bilhão de pessoas no mundo não têm acesso a eletricidade confiável. Então dois amigos se uniram para começar d.light, External link uma empresa que cria iluminação movida a energia solar para áreas atingidas pela pobreza.

Mas preencher uma necessidade de economia não é suficiente. A responsabilidade social é mais eficaz quando a questão se conecta diretamente com uma paixão pessoal. Scott Harrison lidera a caridade: água, é uma organização sem fins lucrativos que leva água potável a milhões em todo o mundo. Um ex-promotor de boate de Nova York, Harrison teve uma epifania, enquanto estava de férias em uma praia que ele não tinha feito nada em sua vida para ajudar os outros. Enquanto viajava na Libéria tirando fotos, ele percebeu que muitos dos seus pacientes estavam doentes e morrendo porque não tinham água limpa. A questão tornou-se pessoal para ele, e essa paixão o levou ao empreendedorismo social.

Carreiras nas diversas área da saúde continuam promissoras

A expectativa de vida das pessoas aumentou nos últimos anos, e como é de se esperar diante das tecnologias e inovações em relação à qualidade de vida da população, a humanidade viverá cada vez mais. É por esse motivo que as carreiras ligadas à saúde são tão favoráveis ao mercado e importantes às pessoas.

Os que atuam na medicina podem atuar em hospitais, consultórios próprios, clínicas, empresas e postos de saúde. Há a possibilidade de fazer especializações para focar em um público individual, uma das áreas que está em alta e que aumentará nos próximos anos é a geriatria, ciência que cuida e dá assistência ao envelhecimento, fato ligado diretamente ao novo perfil da população.

Como sempre vemos nas notícias, a cirurgia plástica também cresce. No Brasil são efetuadas mais de 900 mil cirurgias plásticas ao ano, dado que coloca o país no segundo lugar no ranking de cirurgias deste tipo.

A biomedicina, por outro lado, estuda e classifica microrganismos causadores de doenças, além de meios de tratamento e cura para as doenças. Essa área possui um grande leque de atuação, são mais de 30 opções: análise clínica, banco de sangue, radiologia, reprodução humana, diagnóstico por imagem etc.

No cenário de cuidados, os enfermeiros supervisionam a equipe de técnicos e auxiliares, coordenam os procedimentos e atendem pacientes de todos os níveis de complexidade. O que faz a profissão se manter no hall do crescimento é a alta taxa de empregabilidade. Outro fator: muitos profissionais que trabalham com enfermagem não são graduados. Por esse motivo também, o enfermeiro formado na área tende a ser ainda mais disputado no mercado da saúde.

A especialização que garante mais contratações é na área de home care. A cada ano esse nicho cresce 5% em todo o país. Essa porcentagem tende a crescer cada vez mais de acordo com o aumento da expectativa de vida da população mundial, além da tendência da hospitalidade chegando aos cuidados médicos.

Atualmente, a área médica alcança lugares que antes não tinham esse tipo de suporte, aumentando a atuação desses profissionais. Um exemplo disso é o atendimento em área indígena que aumentou 400% de 2014 a 2018.

Por que considerar o empreendedorismo?

Tornar-se um empreendedor de sucesso requer planejamento de negócios, inovação e assunção de riscos. É muito trabalho, mas também há muitas notícias sobre os benefícios em ser seu próprio patrão.

Coloque suas próprias ideias para trabalhar: Ser seu próprio patrão pode permitir que você tenha liberdade e independência para usar suas próprias ideias. Como empreendedor, seu tempo e energia podem ser gastos criativamente, colocando essas ideias para trabalhar para você e para o sucesso futuro de seus negócios.

Decida que tipo de negócio você quer: Sua empresa deve complementar sua experiência, interesse e conhecimento. Antes de colocar muito trabalho no planejamento do seu negócio, certifique-se de que a indústria escolhida é a certa para você. Você pode querer considerar quais hobbies ou interesses você tem, bem como quais experiências e habilidades você poderia aplicar a um novo empreendimento.

Tome as decisões para o seu negócio: Começar seu próprio negócio pode ser arriscado; no entanto, desejo, persistência e pensamento inovador podem trabalhar a seu favor. Acreditar em si mesmo e basear suas decisões em conhecimento e experiência pode levar ao sucesso do seu negócio. No entanto, conhecer os limites de suas próprias habilidades e não ter medo de pedir ajuda de outras pessoas o ajudará a tomar decisões empresariais informadas.

Você tem a capacidade de estabelecer as políticas para o seu negócio e definir o tom de sua cultura. Você pode criar um negócio que combine bem com seus próprios valores pessoais, em vez de trabalhar para outra pessoa cujas políticas ou valores possam diferir dos seus.

Escolha o local para o seu negócio: Você pode escolher um local para sua empresa que atenda às suas necessidades, seja para trabalhar em casa, trabalhar perto de casa ou aproveitar a oportunidade para viajar e conhecer lugares diferentes. Você pode escolher um escritório no centro da cidade ou um local fora da cidade para evitar tráfego ou uma longa viagem. Embora você tenha muita flexibilidade na escolha de um local, você deve levar em consideração o acesso a clientes, funcionários e fornecedores.

Ter o potencial para ganhar mais: Como empreendedor, você tem o luxo de trabalhar seu próprio horário e aumentar seu potencial de ganhos. Normalmente, esse sucesso vem com muito trabalho e longas horas. Se o seu negócio for bem-sucedido, você poderá ganhar mais dinheiro do que se estivesse trabalhando como funcionário.

Brasil registra um acidente aéreo a cada dois dias, segundo Cenipa

O Brasil teve 1704 acidentes aéreos nos últimos 10 anos, de acordo com o Cenipa – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, órgão da FAB, Força Aérea Brasileira. Isso significa que, em média, ocorre um acidente com veículos aéreos a cada dois dias no país.

Os dados do Cenipa também apontam que as principais causas desses acidentes são a perda de controle da aeronave e falhas nos motores. Como resultado, esses eventos causaram a morte de 846 pessoas.

Do total de acidentes, 73% aconteceram em aviões, com 1260 casos reportados. Em seguida vêm os acidentes com helicópteros, representando 13% dos acidentes – 220 ocorrências.

Regionalmente, é o estado de São Paulo que possui o maior número de acidentes, 370 no total, que causaram 137 mortes. Esse número é influenciado principalmente pelo tamanho da frota aeronáutica paulista, a maior do país.

Apesar da maior parte dos acidentes ocorrerem em aviões, voos comerciais e taxis aéreos são as modalidades com menor taxas de acidentes, enquanto os voos particulares encabeçam as estatísticas. Isso porque, enquanto os serviços aéreos passam por fiscalizações mais rigorosas, serviços particulares ainda sofrem com manutenções precárias e falta de capacitação adequada de pilotos, que rotineiramente têm menos experiência em horas de voo.

Segundos especialistas, o número de acidentes aéreos no Brasil, que já vem em queda, se comparado a períodos anteriores, pode ser menor, desde que os recursos à disposição sejam melhor utilizados, como a melhor formação de pilotos, a renovação da frota de aeronaves e o seguimento mais rigoroso das normas de segurança da Agência Nacional de Aviação Civil.

Outro ponto defendido por especialistas é o endurecimento de regras da aviação particular, para que esta se aproxime da existente nos táxis aéreos. Um ponto de dissonância entre ambas regulamentações é a presença de um copiloto, responsável por auxiliar nos procedimentos de pilotagem e tomar o controle caso necessário, na cabine, o que não é exigido a voos particulares.

No entanto, apesar das notícias alarmantes, é difícil fazer a comparação dos números brasileiros com a realidade ao redor do mundo, já que muitos países não mantém um acompanhamento preciso dos incidentes aéreos como o Brasil.

Razões pelas quais você deve ir para o empreendedorismo social

Já ouviu falar de pessoas que são loucas o suficiente para pensar que podem salvar o mundo? Bem-vindo ao empreendedorismo social!

Embora existam muitas definições diferentes para empreendimentos sociais, você pode começar mantendo em mente o seguinte fato: um empreendedor social é uma pessoa que, assim como um empresário comum, identifica uma necessidade. No entanto, essa necessidade provavelmente se assemelhará a uma injustiça ou a uma desigualdade.

Você será uma fonte inspiradora de impacto: Há paixão empreendedora e há impacto. Adivinhe, em uma empresa social você pode ter os dois! Que tal colocar sua energia na solução de uma questão significativa que contribuirá para tornar nosso progresso na sociedade e / ou nosso ambiente mais sustentável?

No lado dos funcionários, estamos nos familiarizando com esses novatos chamados “Millennials” que estão lenta mas seguramente começando a ocupar o local de trabalho. Eles têm um senso diferente de prioridade e apenas alguns classificam o dinheiro como o critério número 1, enquanto a maioria “quer trabalhar com propósito”.

As empresas sociais preenchem um desejo premente de trabalhar com propósito e alinhar os esforços das pessoas com seus valores. Um número crescente de empresas já começou a melhorar o vínculo entre propósito e trabalho. No entanto, as empresas sociais realmente cumprem esse desejo premente de trabalhar com propósito e alinhar os esforços das pessoas com seus valores.

Histórias de sucesso globais como Tom Shoes e Grameen Bank , mas também locais como Scholly nos EUA ou Triodos na Bélgica destacam as oportunidades para os funcionários mudarem de workforsalary para workforpurpose. Melhor ainda: as crenças que afirmam que “fazer o bem” não podem ser transformadas em negócios viáveis, finalmente desaparecem. Então, sim, você pode sobreviver economicamente enquanto enfrenta uma questão social ou ambiental.

Você vai responder às necessidades dos clientes: Você certamente percebeu que a nossa consciência de sustentabilidade tem aumentado nos últimos anos. The Guardian afirma que mesmo a crise “não prejudicou as pessoas para minimizar seu impacto no meio ambiente e seus gastos com produtos éticos”. Isto significa que existe um mercado para as empresas que têm uma missão social no centro da sua razão de ser.

É verdade que os segmentos de clientes da empresa social podem ser difíceis de lidar, porque muitas vezes não são apenas as necessidades dos clientes, mas também as dos beneficiários.

O Enem 2018, a novidade sob o acréscimo de tempo e suas funções

Os alunos brasileiros que estão terminando o ensino médio em 2018 ou os que já se formaram passarão por mais uma grande sabatina de questões durante o segundo domingo de Novembro, o qual os candidatos realizarão a última etapa do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), formado por questões de matemática e Ciências da Natureza, que incluem, física, química e biologia. E um ponto importante a salientar é o fato de que exclusivamente nesse ano os estudantes terão um acréscimo de trinta minutos nesta etapa, o que proporciona maior tranquilidade e reflexão no decorrer da prova.

Os candidatos que tenham interesse em sair da prova portando o caderno de questões terão que permanecer na sala até às 18h., equivalente a trinta minutos antes do término da avaliação do dia. E junto a isso, os alunos poderão concorrer por uma vaga em universidades públicas e privadas (mediante programas governamentais e bolsas) em todo o território brasileiro e até mesmo no exterior, em que o ENEM pode ter a nota utilizada para instituições europeias, como demonstrado pelo portal de Notícias ESTUDARFORA.ORG:

  • Universidade de Algarve;
  • Universidade de Coimbra;
  • Universidade de Lisboa;
  • Universidade do Porto;
  • Universidade de Madeira;
  • Universidade dos Açores;
  • Universidade de Aveiro;
  • Universidade de Beira Interior;
  • Universidade do Minho;
  • Instituto Politécnico de Leiria;
  • Instituto Politécnico do Cávado e do Ave;
  • Instituto Politécnico de Coimbra;
  • Instituto Politécnico de Beja;
  • Instituto Politécnico do Porto;
  • Instituto Politécnico de Portalegre;
  • Instituto Politécnico de Guarda;
  • Instituto Politécnico de Viseu;
  • Instituto Politécnico de Santarém;

Os candidatos que queiram fazer parte de programas governamentais podem utilizar a nota, que além de participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), poderão se inscrever no Programa Universidade para Todos (ProUni) que se trata de uma iniciativa do Governo Federal que promove bolsas de estudo parciais (50%) ou integrais (100%) em faculdades particulares. E para isso, é preciso que o candidato alcance no mínimo o valor de 450 pontos nas provas objetivas e não zere a redação, que assim poderá fazer parte da seleção para um determinado curso de interesse. E além disso, há a necessidade de comprovação de renda familiar de até três salários mínimos por pessoa para ser efetivo na concessão da bolsa.

 

 

 

Uma visão sobre empreendedorismo

Proprietários de pequenas empresas estão se tornando cada vez mais diversificados.

As taxas de empreendedorismo aumentaram em todo o país, de acordo com um relatório divulgado na quinta-feira pela Kauffman Foundation . O relatório calcula isso por meio de um Índice de Inicialização – definido como a taxa de novos empreendedores por mês, a densidade de startups em uma determinada área e a porcentagem de empreendedores que abrem novos negócios por desejo de fazê-lo, em vez de necessidade.

A taxa de empreendedorismo em todo o país aumentou para 330 começando novos negócios a cada mês, de 100.000 adultos. Isso é mais do que 310 em 2015. A métrica também aumentou 15% desde 2014, quando o Startup Index mostrou que 280 de cada 100.000 adultos abriram seu próprio negócio por mês.

Eles estão sendo impulsionados pelo aumento no número de mulheres, minorias e imigrantes que estão decidindo sair por conta própria. Por exemplo, a taxa de mulheres empresárias aumentou de 260 em cada 100.000 pessoas, em comparação a 220 em 2014. Ainda assim, os homens em geral iniciam negócios em proporções maiores do que as mulheres, com os homens representando quase 60% dos novos empreendedores em 2015.

Enquanto os empreendedores americanos ainda são predominantemente brancos, as minorias estão ganhando uma fatia maior das pequenas empresas do país. O que é mais aparente na proporção de latinos que começam seus próprios negócios mais do que dobrou desde 1996, chegando a 20,8% de todos os novos empreendedores. Isso pode ser resultado do crescimento explosivo da população latina nos Estados Unidos, que aumentou 2,5 vezes desde 1990, de acordo com o Pew Research Center .

Além disso, a proporção de imigrantes que lançam seus próprios negócios está acelerando, mais do que duplicando para 27,5% dos novos empreendedores em 2015. Ainda assim, a proporção de americanos nativos (72,5%) iniciando suas próprias empresas é muito maior do que os imigrantes.

A faixa etária dos empreendedores é mais disseminada do que tem sido historicamente, com cerca de um quarto representado em cada faixa etária: entre 20 e 34 anos, 35 a 44, 45 a 54 e 55 a 64 anos. Isso é uma mudança de duas décadas atrás, quando o grupo etário mais jovem representava mais de um terço dos novos empreendedores.